5 maiores desafios de um centro de distribuição

Mais do que conhecer os problemas do centro de distribuição, saber como minimizá-los é fundamental.

A logística de um centro de distribuição se compõe de inúmeros processos e operações complexas, que exigem do gestor uma série de planejamentos e ações. No entanto, por mais organizado que seja este trabalho, alguns problemas podem ser recorrentes, tendo em vista o dinamismo desse setor.

Por esse motivo, como especialistas em soluções tecnológicas para gestão, preparamos um guia completo para mostrar quais são os principais problemas que um centro de distribuição pode ter em suas operações, assim como dicas e sugestões para minimizá-los ou até mesmo extingui-los de sua empresa.

Quer conferir? Então, boa leitura!

Por que é tão importante investir na sua logística de distribuição?

Já foi o tempo em que a logística era considerada um setor meramente operacional dentro das organizações, até os gestores começarem a perceber que uma distribuição eficiente poderia agregar muito mais valor ao negócio e ao produto.

Ao longo do tempo, a logística vem se transformando com novos conceitos, métodos e tecnologias, e já é considerada parte estratégica de muitas empresas, sendo, inclusive, fator principal de diferenciação em muitos casos.

Esse cenário se tornou possível por uma série de fatores do mercado, como o aumento da concorrência, a mudança no perfil de compras dos clientes, o surgimento de novas ferramentas tecnológicas e a necessidade de promover, cada vez mais, experiências positivas ao público.

Ou seja, investir em seu centro de distribuição é uma estratégia fundamental e quase que natural para os dias de hoje, tendo em vista a velocidade e o dinamismo do mercado. Não acompanhar esse ritmo e as tendências do setor é ficar para trás e perder espaço para que os concorrentes se destaquem.

Sendo assim, a seguir, listamos os principais problemas enfrentados na gestão logística das empresas e em quais pontos você, gestor, precisa se atentar para tornar o seu centro de distribuição mais eficiente.

→  Ouça o máximaCast#29 e saiba como realizar uma gestão de estoque eficiente

Os principais problemas dentro de centro de distribuição

Evidentemente, cada centro de distribuição tem as suas próprias especificidades e características, o que, consequentemente, pode gerar problemas e falhas distintas para cada empresa.

No entanto, em geral, alguns desses fatores são muito comuns dentro de qualquer cadeia de suprimentos, e é sobre eles que vamos abordar, destacando as principais falhas e gargalos que um centro de distribuição pode enfrentar durante as suas operações.

1. Falta de planejamento

Certamente, tudo o que você já leu até hoje sobre logística fala sobre a importância do planejamento e da organização. E não é pra pouco! Eles são pilares fundamentais do setor e, sem esses ativos, as operações não funcionariam.

No entanto, o ponto crucial é entender que o setor é extremamente dinâmico, e o planejamento precisa ser constante e frequente, ou seja, a cada dia.

Quer um exemplo na prática? Imagine que o seu centro de distribuição opere de forma eficiente dentro do seu plano de negócios e que atenda perfeitamente a todas as demandas de seus clientes. Parece o cenário perfeito, não é mesmo?

Porém, se em questão de uma semana um dos seus consumidores precise aumentar consideravelmente os seus pedidos ou trabalhar com prazos mais urgentes, por mais organizada que seja, sua distribuição sofrerá impactos – e isso poderá afetar a sua relação com os demais, concorda?

Portanto, é imprescindível prezar por um planejamento estratégico dentro do centro de distribuição e estar preparado para conseguir atender a essas possíveis mudanças e demandas repentinas do dia a dia. Para isso, preparamos algumas dicas:

  • Conheça perfeitamente a estrutura de seu centro de distribuição;

  • Estude a real capacidade de atendimento de sua empresa;

  • Crie KPI’s para melhorar o desempenho de sua logística;

  • Busque conhecer ao máximo as necessidades de seus clientes e se adapte a elas;

  • Tenha parceiros estratégicos;

  • Acompanhe tendências e busque implementá-las em sua empresa;

  • Gerencie bem os seus custos x investimentos;

  • Conheça, na prática, a rotina de suas equipes e o funcionamento de suas operações.

2. Falta de integração nos processos

Outro problema comum em um centro de distribuição é a falta de integração ou gargalos entre as operações. O conceito de logística integrada defende justamente essa “ligação direta” de cada processo dentro do supply chain, desde o recebimento dos insumos até a chegada na porta do cliente.

E como tornar isso possível? Na prática, o primeiro passo é voltar ao que abordamos, ou seja, prezar pelo planejamento de suas operações. Feito isso, inúmeros outros fatores podem ser fundamentais para a integração eficiente de seu centro de distribuição, como a implementação de ferramentas tecnológicas, que permitem otimizar as tarefas, treinamento das equipes, investimentos em sistemas de armazenagem automatizados, reconfiguração dos layouts e das atividades, entre outros.

A ideia, aqui, é buscar ações e soluções que permitam reduzir o tempo de operação entre um processo e outro dentro da sua cadeia de suprimentos, possibilitando uma movimentação mais rápida e dinâmica dos seus pedidos. Como dicas práticas, listamos algumas sugestões do que pode ser feito.

  • Pesquise e invista em ferramentas tecnológicas de gestão, que permitam a integração das operações internas;

  • Informe-se sempre e busque implementar métodos modernos em sua gestão logística, como o cross docking;

  • Estude melhores os layouts e as estruturas de armazenagem de seu centro de distribuição, com o intuito de “desafogar” ou tornar mais dinâmica a movimentação de pessoas, cargas e equipamentos;

  • Invista em treinamentos pessoais de suas equipes;

  • Mais uma vez, crie KPI’s focadas nos principais gargalos internos e tome ações mais assertivas.

3. Pouco investimento em tecnologia

Sem dúvidas, um dos principais problemas que um centro de distribuição pode ter nos dias atuais é a ausência de ferramentas tecnológicas ou o uso de softwares obsoletos e ineficazes.

Em tempos de logística 4.0, não operar com sistemas adequados e específicos para o setor pode ser um erro fatal para qualquer operação, e o que não faltam são softwares especializados no setor.

Ou seja, aquela velha planilha ou mesmo alguns métodos operacionais de controle logístico não têm mais espaços para um mercado dinâmico como o de hoje. Para isso, destacamos duas tecnologias e soluções imprescindíveis para um centro de distribuição atualmente.

3.1. Roteirizador de entregas

Já foi o tempo em que, para monitorar uma entrega, o gestor precisava ligar ou enviar mensagem para o motorista responsável e “confiar” na sua posição. Hoje, graças o avanço da tecnologia, essa comunicação passou a ser em tempo real e muito mais confiável, reduzindo tempo e custo, aumentando a segurança e proporcionando experiências muito mais positivas ao cliente.

O roteirizador de entregas ainda permite que o gestor tome decisões imediatas em casos de acontecimentos inesperados, como mudanças de rotas não planejadas, paradas não programadas dos motoristas, trânsito ou até mesmo roubos e furtos.

Entre os principais diferenciais dessa solução tecnológica, vale destacar algumas das suas funcionalidades. Confira!

→ Assista ao vídeo e saiba como evitar os 4 erros mais comuns na roteirização de entregas.

  • Janelas de entregas;

  • Montagem de cargas automáticas;

  • Rotas dinâmicas;

  • Previsão de custos por rotas;

  • Controle de rodízios de veículos;

  • Check-in e checkout dos motoristas;

  • Monitoramento da carga em tempo real;

  • Controle de devoluções, avarias e re-entregas;

  • Acerto de cargas automáticas.

3.2. Sistema WMS

Outra solução tecnológica imprescindível para um centro de distribuição é o sistema WMS (Warehouse Management System). Na prática, este software faz um papel completo da gestão de estoque de um armazém e possibilita otimizar todas as etapas de um supply chain, desde o recebimento do produto até a sua entrega.

Em conjunto com os coletores de dados e os códigos de barras, o sistema WMS possibilita registrar e comunicar as informações das operações realizada em cada etapa da cadeia. Por exemplo, assim que um produto chega no armazém, o WMS possibilita reconhecê-lo de imediato por meio dos dados registrados em sua etiqueta, e direcioná-lo para o endereçamento correto dentro do estoque, obedecendo especificidades como data de validade, numeração de lote, entre outras.

Além disso, o sistema WMS permite otimizar a distribuição como um todo, agilizando, também, os processos de picking e de expedição.

→ Leia também: O que é um sistema WMS para a cadeia de distribuição?

4. Não investir em sistemas adequados de armazenagem

Com o avanço das novas tecnologias e da evolução de conceitos e métodos logísticos, até mesmo as estruturas de armazenagem que eram meramente operacionais passaram a ganhar funcionalidades especiais e mais modernas dentro dos centros de distribuição.

Hoje, simples prateleiras de armazenamento podem ser substituídas por equipamentos e sistemas mais inteligentes, que vão desde esteiras até elevadores e carros automáticos para realizar a movimentação das cargas.

Entre os sistemas inteligentes de armazenagem, vale destacar, também, os mezaninos industriais, que são plataformas removíveis e altamente flexíveis capazes de aumentar a capacidade de estoque, ou até mesmo de ampliar as áreas do armazém sem a necessidade de obras.

Para saber mais sobre as principais estruturas inteligentes de armazenagem que podem servir ao seu centro de distribuição, separamos alguns exemplos:

  • Porta-pallets;

  • Mezaninos industriais;

  • Flow racks;

  • Push backs;

  • Drive-in e drive-thru;

  • Cantilever;

  • Transelevadores e carros automáticos.

→  Assista ao vídeo abaixo e saiba quais são os sistemas essenciais na logística do atacado distribuidor e da cadeia de suprimentos.

5. Não realização de KPI’s

Você monitora e acompanha o desempenho de suas operações? Sem dúvidas, a ausência dessa tarefa é um dos problemas mais graves para um centro de distribuição, tendo em vista a impossibilidade de mensurar e agir contra os principais gargalos do supply chain.

Uma das formas mais eficazes que o gestor tem para conseguir isso é por meio da criação de KPI’s, ou simplesmente indicadores de desempenho. Para tal, cabe ao líder identificar os problemas e dificuldades de determinada operação ou atividade, e buscar meios de mensurar, em números e dados, todas as informações daquela tarefa em um prazo estipulado.

Por exemplo, se há um gargalo durante o picking (separação de pedidos) que esteja impactando a dinâmica das entregas, cabe ao gestor identificar as principais características e começar a mensurar as falhas durante um período estipulado, para tomar as decisões em cima dessas estatísticas.

Os indicadores de desempenho são muito variáveis e flexíveis, podendo ser implementados em qualquer área do seu centro de distribuição, como os exemplos a seguir:

  • KPI de capacidade de armazenamento;

  • KPI de tempo de entrega;

  • KPI de custo das entregas;

  • KPI de atrasos;

  • KPI de atendimento ao cliente;

  • KPI de satisfação do cliente.

Quais os principais benefícios dessas ações?

As vantagens de implementar todas as essas ações em um centro de distribuição são inúmeras. Como vimos, a logística é um setor complexo e altamente dinâmico, apresentando mudanças e desafios quase que diários, e que requerem um posicionamento eficiente do gestor.

Podemos destacar como principais benefícios previstos dessas ações, os seguintes fatores:

  • Redução de custos operacionais;

  • Minimização ou extinção de falhas e gargalos;

  • Otimização dos processos internos;

  • Aumento da produtividade das equipes;

  • Redução de riscos para o negócio;

  • Mais integração das etapas do supply chain;

  • Modernização e automatização de processos e tarefas;

  • Controles mais apurados e baseados em dados mais confiáveis;

  • Entregas mais eficientes;

  • Melhores experiências e aumento da satisfação do cliente.

Em resumo, esses são alguns dos principais problemas de um centro de distribuição e algumas dicas e sugestões de soluções viáveis para minimizá-los no dia a dia. Certamente, a complexidade logística de um supply chain abrange muitos outros fatores importantes, e cada empresa conta com suas próprias especificidades.

No entanto, com todos os pontos básicos abordados, o gestor pode tomar como base tais informações e aplicá-las em sua rotina de trabalho para buscar, cada vez mais, a eficiência ideal de seu centro de distribuição.

Gostou do post? Quer mais dicas para melhorar as entregas de sua empresa? Então, não deixe de conferir também o nosso próximo artigo e descubra 6 formas de aprimorar ainda mais os seus canais de distribuição. Boa leitura!

Deixe seu Comentário

Informações

Se você deseja conhecer mais sobre nossos produtos, ou simplesmente fazer uma visita ao nosso escritório, fale conosco através do formulário de contato.