Qual a hora certa de realizar troca de óleo dos caminhões?

Saiba tudo sobre a troca de óleo de sua frota e como tornar essa prática mais eficiente na empresa.

Entre as inúmeras tarefas que fazem parte de uma boa gestão de frotas, a troca de óleo dos caminhões é algo imprescindível e pode ter impacto direto em diferentes fatores, como empenho do veículo, durabilidade do motor, redução no consumo de combustíveis e aumento da vida útil das peças.

Pode ser que nada disso seja necessariamente uma novidade para você, gestor. No entanto, a nossa ideia aqui não é apenas lembrar que você deve fazer a troca de óleo de tempos em tempos em sua frota, mas sim mostrar que essa prática pode ser muito mais eficiente e vantajosa, quando realizada de forma planejada, correta e com auxílio de tecnologias avançadas de gestão.

O resultado deste planejamento, sem dúvidas, vai agregar mais desempenho, menos manutenções e, claro, mais retornos positivos às suas operações.

Sendo assim, vamos às dicas sobre a troca de óleo correta de seus caminhões. Boa leitura!

Afinal, para que serve a troca de óleo do caminhão?

O óleo lubrificante é considerado pelas próprias montadoras como uma peça essencial para o funcionamento de qualquer motor. Logo, a sua troca precisa ser realizada de acordo com o tempo de uso do veículo.

Na prática, o óleo lubrificante tem a função de manter a temperatura e evitar o atrito direto entre as peças móveis do motor. Isso evita, por exemplo, que elas gerem combustão ou superaquecimento ao longo do funcionamento, que já seriam suficientes para causar danos ou até mesmo a perda completa do motor.

Ao percorrer todas as peças, o óleo lubrificante cria uma película protetora nas superfícies, que, em altas temperaturas, minimiza o contato direto entre os componentes, aumentando, assim, a durabilidade de todo o sistema e minimizando desgastes das peças.

No entanto, estes produtos têm uma vida útil programada e, ao longo do tempo, sua viscosidade e nível no cárter podem ser influenciados. É justamente por isso que se deve realizar a troca de óleo dos caminhões de tempos em tempos.

E qual a hora certa de fazer a troca de óleo no caminhão?

Assim como outros tipos de manutenção preventiva, o mais recomendado é conferir e seguir as orientações dispostas nos manuais das montadoras. Afinal, estas são variáveis de acordo com diferentes fatores, como o modelo do veículo, o uso do mesmo, sua idade, condições mecânicas, entre outros.

Logo, o manual de fábrica deve sempre ser o guia principal para as orientações sobre a troca de óleo correta do seu caminhão. No entanto, alguns fatores são comuns para diferentes modelos, e especialistas no assunto recomendam certos procedimentos padrões.

O primeiro deles é sempre realizar a troca do óleo do caminhão a cada 5 ou 10 mil Km rodados. Mas reforçamos, aqui, que isto não é um padrão exato, ok? É apenas uma orientação comum entre a maior parte dos veículos, porém, que deve levar em considerações todos as demais questões destacadas acima.

Outra orientação é realizar a troca de óleo do caminhão a partir de 6 ou 8 meses de uso, o que também pode ser variável.

Ou seja, em resumo, o tempo correto da troca de óleo do caminhão deverá ser orientado no manual da montadora, mas, ao longo de sua vida útil, poderá sofrer certas influências. Sendo assim, após manutenções e tempo de uso, o ideal é consultar um mecânico de confiança e realizar um diagnóstico mais exato, de acordo com as condições atuais do veículo.

Quais os cuidados essenciais na troca de óleo do caminhão?

Sabendo qual o tempo mais adequado para realizar a troca de óleo em sua frota, é muito importante também levar em consideração outros fatores de uma boa manutenção preventiva.

Pensando nisso, elaboramos, a seguir, uma sequência de dicas que podem ajudar a tornar esta prática mais eficiente e, consequentemente, agregar mais vantagens ao veículo. Confira!

Realize também a troca do filtro

Uma das dúvidas frequentes entre motoristas e gestores é sobre a necessidade de trocar o filtro ao mesmo tempo em que se troca o óleo do motor. Vamos lá!

Na verdade, essa prática é também uma recomendação, mas não necessariamente uma obrigatoriedade em todos os modelos. O papel desta peça é justamente de filtrar possíveis impurezas no líquido, permitindo, assim, que o óleo chegue mais puro e sem eventuais partículas que possam vir a danificar as peças.

Porém, com o tempo, o filtro tende a acumular essas impurezas e, portanto, pode se tornar menos eficiente se não for trocado também.

Sendo assim, a indicação é realizar a troca completa, tanto do filtro, como do óleo, sempre que necessário. Além disso, o valor de investimento não é algo que vá realmente trazer impactos significativos à saúde financeira da empresa.

Clique aqui e entenda o que é custo logístico e como reduzir!

Utilize o óleo lubrificante adequado para seu caminhão

Há uma infinidade de óleos lubrificantes automotivos no mercado, entre eles de classificação sintética, mineral ou semissintético. Além disso, a viscosidade dos líquidos é diferente, em geral representada pela numeração, como SAE 40, SAE 50, 20w50, entre outros.

Cada tipo de óleo é recomendado para diferentes modelos de motor, respeitando pequenos detalhes da montadora, como o tempo de aquecimento, viscosidade, tipos de peças etc.

Sendo assim, não adianta colocar qualquer óleo lubrificante, pois ele não terá o mesmo efeito em todos os veículos, e a recomendação é sempre conferir as indicações originais do manual da montadora.

Evite completar o nível de óleo

Outra dúvida frequente na troca de óleo do caminhão é sobre a possibilidade de completar o nível do cárter, sempre que houver uma indicação de óleo baixo no motor. Isso também é possível, porém, não o mais recomendado, mesmo se você utilizar exatamente o mesmo produto.

Afinal, com o uso do motor, o óleo tende a circular constantemente e, com o tempo, pode acumular certas impurezas, ou até mesmo sofrer contaminações. Logo, ao completar o nível, teoricamente, você estará misturando o produto novo a um restante já utilizado, e que você jamais saberá se isso vai garantir a mesma eficiência de uma troca completa.

Sendo assim, como garantia de melhor desempenho, o ideal é retirar todo o óleo lubrificante antigo – assim como o filtro usado – e substituir por um produto novo.

Verifique o nível do óleo com o motor frio

O ideal para a conferência do nível de óleo no cárter é com o motor frio, já que o calor pode elevar este nível apenas no marcador, mas nem sempre terá o volume suficiente para atender a todas as peças com a garantia necessária.

Logo, para não cair nessa “pegadinha”, faça as inspeções sempre com o motor desligado e, de preferência, frio.

Uma dica importante também é limpar primeiro o marcador e encaixá-lo novamente no cárter para ter uma visão melhor do nível. Afinal, o óleo pode escorrer um pouco e dar a impressão de estar no nível correto.

Outros conselhos importantes para a troca de óleo da frota

Além de todas as dicas acima, ainda há outras verdades e mitos comuns entre motoristas e gestores de frotas sobre a troca de óleo correta.

Por isso, nós complementamos com algumas dicas extras.

Pode usar marcas diferentes de lubrificantes no motor?

Como vimos, não é recomendado completar o nível de óleo no cárter sem realizar devidamente a troca do produto. Logo, misturar produtos diferentes é ainda menos aconselhável.

No entanto, se você realizar a troca de óleo completa de seus veículos, não há problemas em mudar de marca ou fabricante do óleo, desde que o produto atenda perfeitamente às necessidades e orientações da montadora.

Em outras palavras, não é necessariamente a marca do lubrificante que importa para o desempenho do motor, mas sim a classificação do produto e sua viscosidade.

Os óleos ficam mais escuros com o uso?

Sim. Esse fenômeno é normal com o lubrificante usado, em especial com bastante tempo de trabalho. Em geral, sua coloração se torna mais escura, mas não significa necessariamente que ele perdeu suas funções.

Isso pode apenas indicar uma redução do seu desempenho original e indicar que está na hora de realizar uma troca.

Quando o nível baixa é sinal de problema no motor?

Não necessariamente! É normal que, com o tempo, o nível do óleo baixe no cárter, em especial quando o veículo tem um uso constante. Isso deve ser normalizado justamente com o troca de óleo no tempo correto.

Porém, caso você realize a troca e, em pouco tempo perceba uma baixa significativa, ou se houver um alerta no painel do veículo, aí sim é uma indicação para se realizar um diagnóstico mais técnico.

Afinal, pode haver vazamentos ou mesmo problemas mecânicos que estão demandando mais óleo do que o necessário – e, certamente, isso pode acarretar problemas mais sérios no futuro.

E qual o problema de não realizar a troca de óleo correta do caminhão?

Não realizar a troca de óleo adequada em qualquer motor significa colocar em risco o funcionamento e desempenho adequado do veículo. Em paralelo a isso, maiores custos, problemas mecânicos e até mesmo a perda completa de peças podem ocorrer ao longo do tempo.

Sendo assim, realizar a troca do óleo na frota se trata de um procedimento de manutenção preventiva e, portanto, deve ser levada em consideração em qualquer gestão eficiente.

Além disso, o óleo lubrificante, se trocado de forma correta e no tempo adequado, tende a influenciar diretamente no desempenho e no consumo de combustíveis durante a operação.

Portanto, quando o assunto é troca de óleo na frota, não há alternativas realmente eficazes de economias ou “adaptações”. O mais eficiente é respeitar as orientações da montadora, o tempo de troca e os produtos corretos, garantindo, assim, mais economia de uso, evitando a necessidade de consertos.

Assista ao vídeo baixo e saiba como ser um gestor de frotas de sucesso!

E como tornar a troca de óleo mais eficiente em sua empresa?

Com todas as dicas acima, não restam dúvidas sobre a importância da troca de óleo dos caminhões em sua empresa. No entanto, nem sempre é possível e viável padronizar essa prática, ao mesmo tempo, para todos os veículos, sendo necessário, então, planejamento, organização e estratégia para não haver desperdícios ou aumento de custos.

Para ajudar nessa programação de troca de óleo eficiente, nós listamos ainda algumas dicas importantes e, claro, ferramentas essenciais que ajudam a manter esse controle em dia. Confira!

Crie um cronograma de manutenções

Uma boa gestão de frotas deve sempre contar com um cronograma de manutenções preventivas. E certamente, dentro desse processo, é preciso incluir a troca de óleo de tempos em tempos.

Por isso, invista em ferramentas que controlem as últimas trocas, que cadastrem os produtos utilizados, custos investidos, fornecedores, mecânicos, entre outros, e crie alertas para as próximas necessidades de cada veículo.

Capacite seus motoristas

Quanto mais capacitado for o seu colaborador, maiores suas responsabilidades perante seu patrimônio. Ou seja, quando um motorista conhece bem as políticas da empresa, entende a importância das manutenções e se preocupa com o desempenho das operações, mais ele tende a cuidar e se atentar às necessidades de seus veículos.

Por isso, o recomendado é treinar os funcionários para que usufruam de forma correta dos caminhões, entendam as indicações do painel, avisem sobre eventuais problemas e até mesmo realizem pequenas manutenções necessárias.

Como criar uma avaliação de desempenho dos motoristas? Clique aqui e descubra! 

Aposte no uso de tecnologias avançadas

Uma boa gestão de frotas depende de ferramentas tecnológicas, que nos últimos anos permitiram agregar inúmeros valores às empresas. É o caso do sistema TMS, considerado o mais completo e eficaz para gestores de frotas.

Além de controle total das entregas e manutenções, o software garante uma gestão muito mais ampla e estratégica para a troca de óleo e outras práticas necessárias. Por exemplo, ele permite o cadastro de fornecedores, indicação das últimas manutenções, controles de custos, comparação de desempenho de cada veículo e motorista, entre outros.

Na prática, o sistema possibilita tornar sua troca de óleo algo estratégico, que visa não somente respeitar prazos e produtos corretos, mas que também influencia diretamente custos, desempenho e produtividade de suas operações.

Gostou? Quer otimizar a sua troca de óleo e toda a sua gestão de frotas? Então, aproveite para conhecer melhor algumas soluções tecnológicas de ponta e torne sua logística muito mais eficiente.

Aproveite para realizar uma avaliação da logística da sua empresa gratuitamente!

OnBlox é uma empresa de desenvolvimento de softwares para gerenciamento logístico.

Deixe seu Comentário

Informações

Se você deseja conhecer mais sobre nossos produtos, ou simplesmente fazer uma visita ao nosso escritório, fale conosco através do formulário de contato.